Resolução para 2014


Data: 31 Dezembro, 2013

Esta é uma altura do ano em que, tradicionalmente, se tentam implementar as resoluções do ano novo. As ideias são sempre muitas e a cada conversa parece que se multiplicam. Procuramos sempre inventar um produto ou serviço, com a ideia de sermos únicos o que, em principio, nos traz uma grande vantagem comercial, pois estaremos sozinhos no mercado. Mas nos tempos que correm sermos únicos é difícil e implica, muitas vezes, um grande investimento. Essa opção tem que ser muito ponderada e, apesar de não dever ser descartada, muitas vezes temos que nos questionar se realmente é necessário inventar algo ou apenas inovar. Há muitos serviços, modelos de negócio e formas de gerir que podem ser refeitas de forma a serem inovadoras. Em épocas de crise como a que vivemos, em que a capacidade de investimento é inferior para as pequenas e médias empresas é, talvez, a melhor altura para inovar em vez de inventar. E inovar pode passar pelo simples facto de uma maior foco no negócio ou em comunicar mais e melhor com os seus clientes. Este mês, numa entrevista muito rica com Pena Miranda, falámos da estratégia da Sonicel, mas do setor das peças no geral. E são vários os alertas que do alto da sua experiência de cerca de 47 anos a trabalhar nas peças deixa aos mais novos. Um dos conselhos que parece mais simples mas tantas vezes difícil de aplicar é que o contacto humano continua a ser fundamental. Não é uma mera frase-feita, é o segredo dos negócios.

Enviamos e recebemos centenas de emails por dia, chamadas e SMS, fazemos encomendas online e temos acesso a toda a informação no telemóvel onde quer que estejamos. Vivemos soterrados por informações que entram e saem e, muitas vezes, uma simples visita a um cliente resolve mais do que 20 emails e dá-nos uma visão diferente das coisas, mais real, no terreno. Experimente dedicar mais tempo aos clientes (e isto serve para toda a cadeia, das marcas até às oficinas) e nunca pense que já dedica o tempo suficiente a este ponto. Toda a gente gosta de atenção e de sentir o apoio dos seu parceiro de negócio e isso passa por estar com a pessoa sempre que ela precisa e não apenas através de um call center. Mas há um risco que ninguém pode correr: confundir atenção com bajulação.

É essa também a nossa resolução de ano novo: Estar cada vez mais perto do mercado!

 

Partilhar