Mazda. Desenvolve bioplástico para peças exteriores de automóveis


Data: 11 Dezembro, 2014

A Mazda Motor Corporation desenvolveu novos plásticos a partir de um processo de engenharia de base biológica, adequados a uma utilização como peças para exteriores de automóveis.

O novo bioplástico irá ajudar a Mazda a reduzir o seu impacto em termos ambientais. Feito a partir de fontes renováveis de biomassa, o material reduz o impacto inerente ao recurso a produtos derivados de petróleo e, com isso, as emissões de CO2. Adicionalmente, dado que o bioplástico pode ser tingido e não requer processo de pintura, também se reduzem as emissões de compostos orgânicos voláteis. O processo de tingimento do material garante às peças uma tonalidade profunda e suave, espelhada, num acabamento de melhor qualidade do que o que pode ser alcançado num plástico tradicional pintado.

Há um considerável número de anos que a Mazda tem vindo a desenvolver, de modo proactivo, um conjunto de tecnologias com recurso a biomassa. Adoptando a nomenclatura Mazda Biotech, a Mazda apresenta aquele que é o primeiro bioplástico de elevada robustez, resistência ao calor e com base natural para a indústria automóvel, destinando-se a peças para interiores, bem como o primeiro biotecido para os estofos dos bancos, inteiramente concebido em fibra de origem vegetal.

Para o exterior e podendo enfrentar factores mais severos, como os ambientais a que determinadas peças estão expostas, os bioplásticos precisam de ser excepcionalmente resistentes às condições meteorológicas, aos riscos e aos impactos.

A Mazda acaba de alcançar esse mesmo objectivo, obtendo um material simultaneamente adequado a peças interiores e exteriores, conseguindo-o através da optimização da composição de materiais plásticos de base biológica, altamente moldáveis e duráveis, aos quais são adicionados aditivos e corantes (pendente de patente) e através do aumento das suas características de moldagem. Tal permitirá a produção de peças que são tão duráveis quanto as convencionais em plástico ABS (Acrilonitrila butadieno estireno) pintado, para além de apresentarem uma maior qualidade de acabamento e outras vantagens de design associadas.

A primeira aplicação deste bioplástico far-se-á em peças interiores do novo Mazda MX-5, a ser lançado em 2015, antes de se alargar a sua utilização em componentes externos de outros modelos de produção. A Mazda exibirá os protótipos de peças feitas a partir de bioplástico, com assinatura Mazda Biotech, na Eco-Products 2014, mostra de tecnologias ambientais que é amanhã inaugurada em Tóquio. O material foi desenvolvido em conjunto com a Mitsubishi Chemical Corporation.

Partilhar