Ford. Motor EcoBoost é motor do ano até 1.0 litros pela quarta vez


Data: 18 Junho, 2015

O inovador motor é o melhor da classe em facilidade de condução, performance e tecnologia. A Ford está agora a explorar nova tecnologia de desactivação de cilindros para mais eficiências.

Um pequeno motor a gasolina que os condutores europeus acolheram com entusiasmo pela sua excelente economia de combustível e performance impressionante, acaba de receber o oitavo troféu em quatro anos nos prémios do ‘International Engine of the Year’ 2015.

Pelo quarto ano consecutivo, o Ford 1.0 litros EcoBoost foi nomeado como o Melhor Motor Até 1.0 Litros. Foi avaliado como o melhor da classe – baseado na sua facilidade de condução, performance, economia, refinamento e tecnologia – por um painel de 87 jornalistas da área automóvel, de 35 países. No ano passado, o 1.0 EcoBoost tornou-se o primeiro motor a vencer o troféu principal de ‘International Engine of the Year’ três vezes consecutivas e em 2012 foi nomeado como o Melhor Novo Motor.

Na Europa, dez modelos podem ser equipados com o motor 1.0 EcoBoost. Um em cada cinco novos veículos Ford vendidos na Europa em 2014 estavam equipados com a unidade de 1.0 litros, entre os quais quase dois em cada cinco Fiestas. A Ford está também a explorar uma inovadora abordagem à desativação de cilindros que pode ajudar a desenvolver outras valorizações.

“O motor 1.0 EcoBoost mudou as regras de jogo para os pequenos motores a gasolina e nós estamos orgulhosos pelo facto dele continuar a ser o melhor da classe apesar de um crescente número de concorrentes,” disse Joe Bakaj, vice-presidente de Desenvolvimento de Produto da Ford Europa. “O espírito de inovação que nos ajudou a criar este motor está vivo e de saúde e continuamos a desenvolver novos motores.”

A Ford está a trabalhar com parceiros da área de engenharia no Grupo Schaeffler para testar um novo volante do motor de dupla massa que permite que a desativação de cilindros ocorra numa ampla gama de cargas e velocidades de motores, e ajude a minimizar os níveis de ruído, vibração e aspereza. Os testes de estrada, com recurso a um protótipo funcional, no Centro Europeu de Investigação e Inovação da Ford em Aachen, Alemanha, mostraram melhorias adicionais em eficiência de combustível de até 6 por cento.

“Mesmo para um motor agressivamente reduzido como o 1.0 EcoBoost, podemos encontrar uma melhoria significativa da eficiência de combustível ao explorar a desativação de cilindros,” disse Carsten Weber, gestor de motorizações avançadas da Ford Europa. “A prioridade máxima no desenvolvimento de novos motores de combustão para aplicações em automóveis é a redução contínua do consumo de combustível.”

Disponível nas variantes de 100, 125 e 140 CV, o 1.0 EcoBoost é produzido nas fábricas europeias da Ford em Colónia, Alemanha e em Craiova, Roménia, e está atualmente disponível em 72 mercados no mundo inteiro. O motor foi também distinguido anteriormente na Alemanha com o ‘International Paul Pietsch Award 2013’ pela inovação tecnológica, na Grã-Bretanha com o ‘Royal Academy of Engineering Colin Campbell Mitchell Award’ e com o  ‘Dewar Trophy’ do ‘Royal Automobile Club’, e nos EUA com o ‘Breakthrough Award’ da revista  ‘Popular Mechanics’. A Ford é o primeiro construtor automóvel a vencer o troféu ‘Ward’s 10 Best Engines’ por um motor de três cilindros.

Globalmente, a gama Ford de potentes e ao mesmo tempo eficientes motores EcoBoost inclui o 1.5, 1.6, 2.0 e 2.3 litros de quatro cilindros, e os motores de 2.7 e 3.5 litros V6. Este último está em desenvolvimento para equipar o novo supercarro Ford GT que irá em 2016 marcar o regresso da companhia à competição em Le Mans.

“O motor Ford 1.0 EcoBoost permanece um dos melhores exemplos de ‘downsizing’ de motores,” afirmou Dean Slavnich, co-chairman da 17ª edição dos prémios ‘International Engine of the Year’ que teve lugar em Estugarda, Alemanha, e editor da revista ‘Engine Technology International’. “Este fantástico três cilindros mostra que existe ainda caminho para explorar em matéria de motores de combustão interna.”

Partilhar