CTT. Frota renovada com 604 comerciais ligeiros Peugeot


Data: 5 Junho, 2015

Mais de 50% dos veículos são de produção nacional. O negócio deverá representar para a Peugeot 2 p.p. de quota do mercado de Comerciais Ligeiros e 25% de vendas mensais deste mercado em Portugal.

A Peugeot Portugal vai fornecer 604 viaturas operacionais aos CTT Correios de Portugal, distribuídas por três das propostas de veículos comerciais da marca francesa: Partner, Expert e Boxer. A maioria dos veículos envolvidos neste contrato serão Peugeot Partner fabricados em território nacional pelo Centro de Produção de Mangualde.

A Peugeot Portugal venceu um muito disputado concurso que envolveu diferentes operadores nacionais, no qual se previa o fornecimento de um lote significativo de viaturas comerciais aos CTT Correios de Portugal. Esta operação que envolve também a gestora de frotas portuguesa Finlog garante à marca francesa o fornecimento este ano de um total de 604 unidades de veículos comerciais ligeiros.

Esta encomenda resulta num novo e significativo reforço em termos de produtividade do Centro de Produção de Mangualde, de onde sairá a grande maioria das unidades Partner que equiparão a frota dos CTT. O contrato tem, naturalmente, uma implicação direta no tecido empresarial envolvente da região, resultando num significativo contributo para os fornecedores nacionais da Fábrica PSA de Mangualde e para a evolução da economia nacional.

No conjunto, este negócio envolve 428 unidades da Partner, 150 unidades do Boxer e 26 unidades do Expert.

Esta encomenda permitirá aos CTT reforçar a modernidade da sua frota, já hoje uma das mais jovens do País, com uma idade média de 3,3 anos. A escolha da solução teve em conta critérios de racionalidade económica e ambiental, nomeadamente os consumos e as emissões. Em 2014, mais de 99% dos contratos celebrados pelos CTT incluíram cláusulas ambientais.

Prevê-se, além disso, que estes veículos promovam reduções de consumos na ordem dos 3% ao ano (75 mil litros durante a sua vida útil) e das emissões de CO2, cuja poupança pode ascender a mais de 170 toneladas. De acordo com os dados do IPC (Internacional Post Corporation, uma organização sectorial), os CTT foram o operador postal que mais reduziu a sua pegada carbónica a nível mundial no período 2008-2013: -51%.

“Dadas as suas características, trata-se de um negócio muito importante não apenas para a Peugeot Portugal, mas para o próprio tecido de produção nacional”, refere Jorge Tomé, Diretor da Peugeot Ibérica. “Para a Peugeot porque confirma a nossa capacidade de garantir propostas chave-na-mão a grandes operadores, cumprindo na íntegra com os cada vez mais exigentes cadernos de encargos, como neste caso, que envolveu critérios de exigência muito apertados dos CTT. Depois porque é, decerto, um dos maiores negócios da nossa história em Portugal, e que contribui para a dinamização do ‘cluster’ de fornecedores nacionais do sector automóvel, pela produção de um lote significativo de viaturas no Centro de Produção de Mangualde”, conclui este responsável.

“Os CTT operam atualmente uma das maiores frotas do País e a única que de segunda a sexta-feira percorre todos os domicílios do País”, refere Miguel Salema Garção, Diretor de Marca e Comunicação dos CTT, lembrando que “nenhuma outra rede é tão reticular e tão próxima da população como a dos CTT e, precisamente porque vamos a todo o lado, temos investido fortemente no rejuvenescimento da frota. Os veículos que operamos não só consomem menos e emitem menos CO2 – desempenho que irá ser reforçado com estes novos Peugeot – como estão cada vez mais alternativos: já percorremos as estradas de Portugal com carros elétricos e bicicletas eletricamente assistidas.”

 

Partner

Segundo o Administrador da Finlog, Paulo Araújo, “A Finlog é hoje uma das mais relevantes empresas de gestão de frotas do país, que disponibiliza aos seus clientes um serviço global automóvel com qualidade e flexibilidade. É nesse caminho de sucesso que a Finlog acaba de garantir este importante negócio para a sua afirmação nacional – a gestão de mais 604 unidades da frota dos CTT Correios de Portugal. A proposta da Finlog venceu um disputado concurso que envolveu diferentes operadores nacionais e provou ser a mais adaptada às necessidades dos CTT. Esta proposta reúne assim maiores vantagens competitivas, permitindo aos CTT a renovação das suas viaturas mais antigas de uma forma mais sustentável, designadamente em termos de custos operacionais, não esquecendo também as preocupações ambientais. Esta é uma parceria de enorme relevância no contexto automóvel português, em volume e em valor financeiro.”

Até chegarem às mãos dos seus utilizadores, as viaturas serão alvo de transformações específicas, designadamente ao nível da adaptação das respetivas caixas de carga e habitáculos, com vista a aumentar a sua versatilidade enquanto parceiras de negócio e também os rácios de eficiência da distribuição de correio no nosso País.

Partilhar