Continental. Sensores também medem profundidade do pneu


Data: 27 Maio, 2014

A estreita cooperação entre os responsáveis pelo desenvolvimento de componentes eletrónicos e de pneus na Continental – fornecedor internacional do setor automóvel – continua a dar frutos. Os futuros sensores de pressão dos pneus, por exemplo, serão capazes de detetar quando é necessário mudar de pneus devido a profundidade insuficiente do piso.

Andreas Wolf, diretor da unidade de negócios de Estrutura & Segurança, explica a importância de uma monitorização regular da profundidade, sublinhando: “Não foi por acaso que os legisladores em todo o mundo definiram uma profundidade mínima do piso para uma condução segura. Estamos muito satisfeitos pelo facto de, no futuro, podermos ser capazes de ler adequadamente a profundidade do piso de uma forma eletrónica e com a ajuda de sensores integrados nos pneus.” A nova funcionalidade foi conseguida graças a um software inteligente. O software calcula a profundidade do piso a partir de mudanças graduais nas características de rotação dos pneus. O sensor de pressão no pneu infere as características de circulação a partir das variações na deformação do pneu. A nova funcionalidade está prevista estar disponível a partir de 2017 em novos modelos de veículos equipados com sistemas de monitorização direta da pressão dos pneus (TPMS) da Continental (o Sistema de Informação Eletrónica de Pneus – electronic Tire Information System, eTIS).

O segredo por detrás da deteção da profundidade do piso

Para este tipo de deteção eletrónica da profundidade do piso completamente inovador os engenheiros da Continental analisaram as mudanças nas características de rodagem dos pneus ao longo de um período de tempo. Os responsáveis pelo desenvolvimento de componentes eletrónicos e de pneus realizaram uma intensiva série de testes que permitiram obter dados básicos para serem incluídos nos componentes eletrónicos de futuros veículos. As características específicas nas alterações da rotação dos pneus são comparadas com dados acumulados empiricamente. Se o piso estiver abaixo de valor limite específico do pneu, o sistema elétrico a bordo assinala que é necessário trocar de pneus. Se assim o desejar o módulo telemático do veículo é mesmo capaz de informar sobre o centro de assistência automóvel mais próximo. É óbvio que continuará a ser possível que as pessoas sejam capazes de verificar por si mesmas se a profundidade mínima recomendada do piso foi atingido. O pneu tem TWI (indicadores de desgaste) com esta finalidade. Estes indicadores são pequenas elevações entre os sulcos do piso que indicam que a profundidade mínima permitida e recomendada pelo fabricante foi atingida (3 milímetros em pneus de verão, 4 mm em pneus de inverno).

Os pneus tornam-se inteligentes

Com a introdução pela Continental dos primeiros sensores de pressão de pneus em 2002, o elo de ligação mais importante entre o veículo e a estrada tornou-se inteligente. Desde então, os sensores de pressão dos pneus são capazes de fornecer informação sobre a pressão atual de cada pneu, avisando também o condutor se a pressão for demasiado baixa. A partir de novembro de 2014 o sistema de monitorização de pressão dos pneus nos novos veículos de passageiros (classe de veículos M1) vai ser obrigatório na União Europeia. Os sensores de pneus podem ajudar a garantir a pressão ideal de enchimento, o que prolonga a duração dos pneus, ajuda a reduzir o consumo de combustível e consequentemente, as emissões de CO2. A Continental confia nestes sistemas de medição direta com a indicação precisa da pressão. Com eles, o sensor lê a pressão do pneu na válvula ou diretamente debaixo do piso do pneu. Se for necessário equipar um segundo conjunto de pneus com sensores, a Continental já fornece os sensores de reequipamento correspondentes através da sua marca VDO.

Continental alarga o âmbito operacional de futuros sensores de pneus

A Continental está a trabalhar com fabricantes de automóveis de todo o mundo para expandir ainda mais a gama de funcionalidades que os sensores incluídos nos pneus podem proporcionar. Todos os pneus perdem ar lentamente. O sensor de pressão do pneu garante que os condutores são informados da perda de pressão numa etapa inicial do processo. Assim não correm o risco de conduzir com um ou mais pneus perigosamente vazios. Os modelos de automóveis equipados de origem com sensores inteligentes da Continental assinalam automaticamente quando o enchimento de um pneu alcançou a pressão necessária. O Auxiliar de Enchimento é uma grande ajuda quando se enche um pneu e se garante a pressão correta do pneu mesmo quando são usadas estações de enchimento não calibradas. Consequentemente, a resistência ao rolamento é reduzida e o pneu funciona na sua máxima capacidade em termos de segurança e conforto.

Deteção de carga preparada para produção em série

Outra funcionalidade prestes a entrar em fase de produção é a deteção de carga. Através desta funcionalidade o veículo usa o software desenvolvido pela Continental para detetar especificamente se a carga máxima permitida foi excedida. Algo que é muito útil quando, por exemplo, se prepara para ir de férias. Os componentes eletrónicos detetam rapidamente mudanças nas características de rotação devido a carga excessiva e informam o condutor da respetiva carga por eixo. Os futuros sistemas de auxílio na condução vão usar a informação de carga para ajustar as suas funções ao respetivo peso do veículo. A longo prazo, isto fará com que as funcionalidades da condução automatizada sejam mais seguras e ainda mais úteis.

 

Partilhar