Editorial

Published on Janeiro 11th, 2017 | by Andreia Amaral

0

Um próspero Ano Novo

Depois de um 2016 marcado pelo crescimento generalizado das vendas, 2017 abre-nos as portas com promessas de novas oportunidades e reconhecimento do trabalho e esforço empreendido, nos últimos anos, em nome da adaptação ao novo contexto económico e tecnológico. Tal não significa, porém, que se possa baixar os braços na crença de que o pior já passou. Muito pelo contrário!

O passado recente mostrou-nos os impactos avassaladores que a gestão descuidada e a ausência de estratégia podem ter. Mostrou-nos também que, com trabalho, dedicação, flexibilidade, ponderação e organização, é possível ultrapassar os constrangimentos. Não é, assim, difícil de perceber de que lado da equação se deve estar quando o objetivo é prosperar. E o novo ano apresenta-se repleto de oportunidades para fazê-lo!

Em fase de retoma, o setor do aftermarket tem, de forma paulatina, mas moderada, vindo a crescer sustentadamente, muito por força da aposta na qualidade e formação, que os clientes começam a reconhecer como mais vantajosas face a um produto ou serviço de preço baixo. Com uma cultura de decisão mais complexa, mas onde entram em jogo novas exigências, está semeado pelo cliente o terreno de onde as empresas podem retirar muitos frutos, assim tenham aprendido as lições e estejam dispostas a trabalhar na colheita.

Quer isto dizer que o mercado existe, mas que toma agora decisões em que pretende obter o máximo valor pelo seu dinheiro. Para dar resposta a esta procura, mais inteligente do que outrora, as empresas têm de estar conscientes de que terão de investir na qualidade e diferenciação em toda a linha de atividade. Com as margens mais reduzidas pela pressão de grandes grupos, a rentabilidade será encontrada numa gestão acautelada e eficiente, alicerçada em profissionais formados e em meios e ferramentas modernas que apoiem a tomada de decisão, a produtividade e o contacto com o cliente.

A missão não é fácil, mas este é, inegavelmente, o caminho para o sucesso, conforme nos revelam alguns dos mais importantes agentes do aftermarket nacional no especial que fazemos neste número sobre os desafios para 2017. E se dúvidas houvesse de que os caminhos fáceis não levam a bom porto, em entrevista exclusiva à Turbo Oficina, o Diretor Geral da ASAE deixa bem claro que o setor está na mira operacional da autoridade. Por isso, o melhor mesmo é ir pelo trilho certo!

 

Por: Andreia Amaral – Editora-Chefe

Artigo originalmente publicado na Turbo Oficina n.º56

Tags: , , , , , ,


About the Author



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to Top ↑