Produtividade

Published on Maio 10th, 2016 | by José Macário

0

Excelência na Produtividade. Limpar a Oficina

Para além de ser um elemento imprescindível na segurança e saúde no trabalho, uma oficina limpa torna o espaço mais agradável para os colaboradores e aumenta a credibilidade junto dos clientes.

No seguimento da metodologia dos 5S, que cultiva a melhoria contínua nas organizações, e depois de termos focado os primeiros dois passos – “Separar” e “Organizar” – é agora momento de, em equipa, “Limpar”.

Em que consiste?

O terceiro pilar visa retirar toda a sujidade, lixo e poeiras do local de trabalho. Visa, objetivamente, manter o local de trabalho limpo e organizado, melhorando as condições gerais e a motivação para o trabalho. É parte fundamental da política de segurança e saúde no trabalho.

Tal como o ‘Separar’ e o ‘Organizar’, tanto se utiliza em áreas oficinais como nas áreas de serviços.

Síntese: Limpar as instalações – ferramentas, máquinas, empilhadores, peças, equipamento (hidráulico, mecânico ou elétrico), mobiliário, documentos, etc. – e determinar as causas das fontes que criam resíduos, lixos, poeiras, fugas e sujidades e…resolvê-las.

Qual a relevância desta fase?

Não será apenas para tornar a área de trabalho mais limpa, atraente e agradável, mas também porque é mais seguro e torna as fontes dos problemas mais visíveis. Imagine que um dia todos os trabalhadores da sua oficina usam uniformes brancos de modo recorrente e intensivo, conseguindo chegar ao final de cada dia de trabalho igualmente imaculados. Esse é o propósito desta etapa! Identificar as fontes de sujidade e criar condições para as eliminar ou controlar.

Acima de tudo: Ao limpar uma área, torna-se inevitável percebermos as fontes das contaminações presentes em equipamentos, máquinas e nos demais locais de trabalho.

Síntese: Identificar e remover, todas as fontes de sujidade: passo a passo, ideia após ideia, até conseguirem criar condições de eliminação ou controlo dessas fontes.

Como proceder?

Passo 1

Como já temos locais identificados para colocar cada um dos objetos de que necessitamos na área de trabalho (foi esse o propósito do artigo anterior ‘Classificar’), resta agora determinar as tarefas, os métodos e os utensílios de limpeza necessários e iniciar a limpeza:

Varrer, lavar, pintar, polir, desengordurar (chão, paredes, equipamentos, teto, etc.)

Usar os sentidos: Olhar, ouvir, cheirar, tocar, …

Passo 2

Revisitar a Organização definida de cada espaço e adicionar utensílios de limpeza adequados a cada fonte de sujidade, junto dos locais de uso: locais para desperdícios ou panos limpos, locais para os ‘sujos’, desengordurantes, saboneteiras, detergentes, bacias, vassouras, pás, baldes de lixo e de contaminados, ponto verde (plástico, cartão e metal), etc.

Passo 3

Todos devem conhecer o que fazer e os meios que terão ao dispor.

Cada participante nesta campanha de Limpeza deve ter uma área bem definida a si assignada.

A duração desta fase (Limpar) pode variar muito, em função da área total a intervencionar, do número de pessoas da equipa e do estado de (des)organização atual. Tipicamente varia entre 60 minutos (para o exemplo de um pequeno escritório, até um ou mais turnos de trabalho de sete horas).

Todos os colaboradores da empresa devem estar a par desta campanha de Limpeza. Deve ser comunicada com uma semana de antecipação, criada uma agenda, uma hora de início e uma hora de fim. Dicas para a agenda:

  1. Reunião de todas as pessoas num local;
  2. Formação das várias equipas (duas a três pessoas máximo por equipa);
  3. Atribuição das áreas a intervir;
  4. Comunicação das regras (ler este Artigo na íntegra);
  5. Perguntar por dúvidas;
  6. Comunicar hora de início e de término da campanha;
  7. Comunicar hora da reunião final;
  8. «Ir para o terreno»;
  9. Regressar e fazer o balanço, incluindo um forte agradecimento pelo empenho demonstrado (incluir um pequeno lanche ou equivalente, como ato de agradecimento). Comunicar que o Artigo 4 (Padronizar), dará continuidade a este trabalho e que, até lá, há que não acumular lixos ou itens desnecessários (Separar) e há que criar novos hábitos de limpeza, mantendo uma atenção sobre todas as fontes e as origens de sujidade;
  10. Resolver os problemas detetados: Limpeza/ Manutenção/Reparação.

Avaliação final e conclusões

Para além de organizadas, as áreas devem também estar limpas e com processos que garantam a sustentabilidade deste status ao longo do tempo.

No final desta ação, deve avaliar se: O chão está em boas condições; Não existem detritos nem à volta, nem dentro dos equipamentos; Existem materiais de limpeza, em condições e com local bem identificado; Existem baldes ou outros recipientes para detritos; Está criada uma escala de limpeza e se esta é uma atividade diária.

 

Por: Lean Academy Portugal

Tags: ,


About the Author



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to Top ↑