Produtividade

Published on Dezembro 30th, 2016 | by José Macário

0

Excelência na Produtividade – Instruções de trabalho

Depois de se ter o espaço oficinal reconvertido e adaptado, pretende-se agora identificar a melhor forma de executar cada tarefa. O desenho do espaço de trabalho, a forma como dispomos os equipamentos, as pessoas e os veículos são mais uma peça deste puzzle da produtividade da sua oficina. Pretende-se neste artigo dar importantes dicas e instruções úteis, na disposição dos diferentes itens de uma oficina, de acordo com o espaço disponível.

 

Dando seguimento ao conjunto de documentos que caracterizam o Trabalho Padronizado, e tendo já publicado os artigos relativos aos pontos 1 e 2, dedicamo-nos agora ao ponto 3 da lista abaixo:

.Tabela combinada de Trabalho Padronizado

.Layout ótimo da área de trabalho

.Instruções de Trabalho

 

Em que consiste?

Este é o último passo desta série de artigos na temática Lean. Consiste em criar routinas de padronização de tarefas, fazendo com que sejam realizadas sempre da mesma forma por todos os colaboradores. Desta forma consegue-se uma maior previsibilidade sobre os tempos das tarefas e da produtividade de cada área oficinal. Vamos também abordar a metodologia TWI, Training Within Industry, usada pelos militares e pela indústria automovel, no treino de tarefas repetitivas.

 

Síntese: Criar procedimentos padronizados e uma forma robusta de os ensinar a todos os colaboradores.

 

Qual a relevância desta Fase?

Esta Fase é importante para garantir uma repetibilidade e reprodutibilidade dos trabalhadores. Isto significa, fazer sempre da mesma forma entre turnos, colegas e entre as várias unidades da rede de oficinas. Criando uma forma robusta de ensinar, garantimos que efetivamente são compreendidas as sequências de trabalho e as razões de cada passo. Ao longo do tempo, este conhecimento permite um evoluir de competências e um espirito critico e de melhoria continua.

 

Síntese: Garantir que todos fazem as tarefas da mesma forma e que o conhecimento é compreendido e retido dentro da organização.

 

Como proceder?

Passo 1

Imprima o documento disponível no nosso website. O primeiro passo é compreender como o utilizar. Eis algumas pistas e instruções:

O Cabeçalho não oferece resistência e o seu preenchimento é direto. No miolo central é onde deverá descrever as sequências de trabalho. Este miolo central deve conter:

A sequência correta das tarefas, tendo em conta as precedências e as tarefas que poderão ser realizadas em paralelo, se forem executadas por mais que um trabalhador;

As formas de Controlo de Qualidade, identificando a frequência e equipamento a usar;

Notas relevantes, que ajudem a compreender ‘porque é que se faz assim e como se faz’;

Fotos ou imagens que ilustrem os pontos críticos das tarefas;

Usar os símbolos de Q (qualidade), S (segurança) onde for aplicável.

 

Passo 2

Criar condições para treinar cada trabalhar nas novas sequências de trabalho ou no treinar de novos trabalhadores, recém-contratados ou vindos de outras oficinas da rede. Esta metodologia está comprovada, como sendo a MAIS eficiente no treino de pessoas. Consiste em 4 fase que descrevemos abaixo:

Prepare o trabalhador para o treino

Coloque a pessoa à vontade

Descreva o propósito do treino

Identifique o que a pessoa já sabe

Coloque a pessoa na posição inicial do treino

Apresente a Operação

DESCREVA, MOSTRE e ILUSTRE, um passo de cada vez

Descreva cada PONTO CHAVE e a RAZÃO de o ser

Valide que a pessoa compreendeu

Continue até estar convencido disso

Coloque a pessoa a FAZER

1ª ronda: Coloque a pessoa a fazer cada tarefa e corrija os erros

2ª ronda: Coloque a pessoa a fazer novamente, enquanto descreve verbalmente os PONTOS CHAVE e as RAZÕES

Valide que a pessoa compreendeu

Continue até estar convencido disso e puder garantir isso à sua Chefia

Monitorização

Vá ao local de trabalho e valide

Corrija e disponibilize-se para ajudar

Encoraje as questões (quem sabe ‘porquê’, sabe explicar ‘porquê’)

Dê os parabéns ou mostre reconhecimento

Guie-se pelo principio: “SE O OPERADOR NÃO FAZ/SABE É PORQUE O INSTRUTOR NÃO ESTIMULOU/ENSINOU”

 

Recursos necessários

Terá apenas de ter este novo modelo impresso, algo com que escrever e uma grande resiliência para escutar, sugerir e testar as novas práticas de trabalho. Isso implica uma disponibilidade acima da média, para ir para o terreno, VER, ESCUTAR e depois EXPLICAR, ENSINAR e EXPERIMENTAR. ‘Tempo’ é o recurso mais importante, nesta fase…

Tags: ,


About the Author



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to Top ↑