Pneus

Published on Janeiro 19th, 2016 | by Andreia Amaral

0

ACAP. Resultados da campanha “Guia Pneus Pesados”

Esta campanha decorreu no último ano em Vilar Formoso e Leixões, e descobriu diferenças no estado dos pneus dos pesados que fazem percursos internacionais e aqueles que apenas se deslocam dentro do nosso país.

 

A Associação Automóvel de Portugal (ACAP), através da sua Comissão Especializada de Produtores de Pneus (CEPP), que agrupa os principais fabricantes de pneumáticos, revelou os resultados da iniciativa levada a cabo em 2015 “Guia Pneus Pesados”. Sob o lema “a sua segurança e a do camião estão na sua mão”, esta iniciativa contou com o apoio da PSP, GNR, IMT, ANSR, Deco, Antram e ValorPneu e levou a cabo inspeções nos dias 16 de junho (Vilar Formoso) e 23 de setembro (Leixões).

A campanha “Guia Pneus Pesados” confirmou que 58% dos 207 veículos inspecionados apresentavam pneus em ordem. No entanto, os restantes 42% foram aconselhados a consultar um especialista em pneumáticos, sendo que em 28% foi dito para fazerem essa visita “brevemente”, e nos restantes 14%, situações mais graves, para obterem apoio especializado “urgentemente”. Interessante (e de certa forma preocupante) são as disparidades entre os resultados obtidos em Leixões e Vilar Formoso, e que indiciam uma preocupação superior com os veículos pesados que fazem longos percursos internacionais. Segundo os organizadores desta ação, verifica-se a existência de “equipamento melhor” nas viaturas inspecionadas junto da principal fronteira nacional, “devido aos períodos de condução contínua que aqui se verificam”.

Em apenas 6,3% dos veículos inspecionados se verificou uma profundidade de piso inadequada, grupo composto por pneus condicionados (5,8%) e perigosos (apenas 0.5%), e em 14% dos veículos pesados também se notou a existência de pneus com danos na área da banda de rodagem. Destes estragos faziam parte cortes ou arrancamento de piso (33,2%), desgaste dos ombros (22,1%), desgaste crescente de um ombro ao outro (17,1%) e desgaste irregular (11,2%). Por fim, a ACAP destacou também a preocupação dos condutores e empresas relativamente às inspeções realizadas no âmbito do “Guia Pneus Pesados”, indicando três grandes motivos para esta atenção: a segurança, menos imobilizações na estrada e ainda maior rendimento quilométrico”.

Por: Nuno Fatela

Tags: , ,


About the Author



Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to Top ↑